No Fórum da Mobilidade, em 27 de julho, a Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários de Passageiros do Brasil (ANPTrilhos) reunirá candidatos à presidência e governos estaduais para discutir o transporte ferroviário urbano e metropolitano no país

No dia 27 de julho de 2022, no Palácio Único, em Brasília, capital nacional do Brasil, a Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários de Passageiros (ANPTrilhos), que reúne quase todos os operadores ferroviários e metroviários brasileiros, promoverá uma nova edição de um evento que está se arnando uma tradição nos anos em que há eleições presidenciais e governamentais no país.

Este é o Fórum de Mobilidade da ANPTrilhos, que, o exemplo do que aconteceu em 2018, reuniu candidatos à Presidência da República e governos estaduais para discutires de mobilidade urbana sobre trilhos.

Como próximas eleições – que também renovar o Senado e a Câmara dos Deputados em nível federal, e as Assembleias Legislativas estaduais – serão realizadas no domingo, 2 de outubro de 2022, e o segundo turno também está marcado para domingo, 30 de outubro. 2022.

Fundada em agosto de 2010, a ANPTrilhos é, de certa forma, fruto da força que o transporte ferroviário vem ganhando no meio urbano e metropolitano. É também um vetor organizacional para que esse segmento cresça e se fortaleça no país, já que sua participação é relativamente pequena: a malha ferroviária urbana urbana brasileira tem 1.105 km de extensão, possui 47 linhas e 619 estações, com 1,8 bilhão de passageiros transportados por ano e 35 mil funcionários.

Esses números devem aumentar significativamente nos próximos anos para melhorar as condições de mobilidade e a qualificação ambiental das cidades brasileiras, sem esquecer que o transporte de passageiros de longa distância praticamente deixou de existir na década de 1970 e agora é preciso recriá-lo.

Joubert Flores, presidente do Conselho de Administração da ANPTrilhos, afirma que o caminho para a eficiência é a integração do sistema de transporte e a otimização dos recursos. “Temos um quadro de urbanização acelerado no país, que não foi acompanhado pela infraestrutura de transportes, onde o número de vítimas de trânsito é alarmante, resultando em um custo elevado, inclusive o custo financeiro para a sociedade”.

E acrescenta: “A mobilidade está diretamente relacionada ao PIB -Produto Interno Bruto-, pois com transporte rápido utilizar e de qualidade, as pessoas vão utilizar o sistema e terão mais tempo para realizar atividades de lazer ou estudo, por exemplo, movimentando a economia”.

CONEXÃO

A gestão da ANPTrilhos destaca em seu pronunciamento que o Fórum da Mobilidade propõe a articulação entre os candidatos aos governos federais e estaduais, além de formadores de opinião, iniciativa privada e sociedade, para discutir as propostas voltadas ao avanço do transporte metroferroviário no Brasil cidades.

Na edição de 2018, o Fórum de Mobilidade da ANPTrilhos reuniu mais de 400 participantes entre candidatos à presidência, ministros, governadores, secretários, representantes do setor privado e do setor, que se reuniram para discutir para discutir novas propostas. Com a presença de mais de 150 jornalistas, o evento marcou os debates presidenciais na área de mobilidade urbana no Brasil.

Na ocasião, a ANPTrilhos apresentou o documento Eleições 2018 – Propostas para o avanço da mobilidade urbana nacional, publicado em caderno impresso de 24 páginas. O documento continha um conjunto de quatro propostas “para o avanço da mobilidade urbana nacional”.

Como propostas foram: 1) Aumentar a eficiência da rede de transporte público e reduzir os custos administrativos; 2) Promover o financiamento sustentável do transporte público; 3) Priorizar o investimento público na estruturação de sistemas de transporte de alta capacidade; 4) Promover o transporte sustentável e limpo para melhorar a qualidade de vida nas cidades.

Para cadar uma dessas propostas, o documento apresentou um conjunto de argumentos e indicações de soluções. Cabe a nós perguntar na reunião de 27 de julho quanto progresso foi feito nessas propostas nos últimos quatro anos.

MESAS REDONDAS E PROPOSTAS

Nesta segunda edição do Fórum de Mobilidade da ANPTrilhos, o encontro terá o formato de mesas redondas com os candidatos à Presidência da República e os governos apresentaram suas propostas para o setor de mobilidade urbana, e com especialistas nas áreas de mobilidade urbana, a economia e o financiamento de projetos que abordam o panorama e o impacto da mobilidade.

Roberta Marchesi, diretora executiva da ANPTrilhos, afirma que os diferenciais dos sistemas de transporte ferroviário são segurança, regularidade e rapidez, que impactam diretamente na qualidade de vida de seus usuários e de cada cidadão.

Ele conta que durante o Fórum de Mobilidade da ANPTrilhos serão apresentados os detalhes do setor e suas contribuições para aumentar a eficiência da mobilidade urbana brasileira.

O dirigente afirma: “Para responder às demandas do transporte ferroviário de passageiros nos próximos anos, será necessário definir condições de atração, vinculadas a garantias de investimento para o setor privado. Para isso, a criação de regulamentações eficientes é essencial. O Fórum tem como objetivo traçar um panorama do setor e reunir os candidatos à Presidência e os governos estaduais para discutir as propostas que visam a ampliação e melhoria da malha ferroviária de passageiros no Brasil”.