Confederação Nacional do Transporte avalia que é necessário aprimorar a política pública de infraestrutura de transporte público brasileira e fortalecer as condições necessárias para atrair investimentos

A entidade participará do Fórum de Mobilidade ANPTrilhos, que será realizado no dia 27 de julho, em Brasília

“Os novos governos devem encarar a expansão da rede metroferroviária como solução eficiente e custo-efetivo de deslocamento nos municípios/regiões em que exista uma demanda suficiente para tanto, especialmente aquelas com mais de um milhão de habitantes”.  Com essa análise, o Diretor de Relações Institucionais da Confederação Nacional do Transporte (CNT), Valter Souza, define quais são as ações prioritárias para o avanço da mobilidade urbana sobre trilhos no Brasil.

O executivo explica que a CNT, entidade que reúne o setor transportador brasileiro, entende que “os governos precisam aprimorar a política pública de infraestrutura de transporte público brasileira, além de assegurar o fortalecimento das condições necessárias para atrair investimentos e interesse de operadores do transporte sobre trilhos, brasileiros e estrangeiros”.

A Confederação participará do Fórum de Mobilidade ANPTrilhos, que será realizado no dia 27 de julho, em Brasília, e reunirá os candidatos à Presidência da República para apresentar suas propostas para o desenvolvimento da mobilidade urbana sobe trilhos no Brasil. O evento também reunirá especialistas que abordarão as visões das esferas governamentais e da sociedade para o futuro da mobilidade no País.

Com longa experiência no setor de transporte, Valter Souza ressalta que a solução para o problema da mobilidade é conhecida e o Brasil detém tecnologia, capacidade industrial instalada e conhecimento de projetos que podem contribuir de forma rápida para mudar a qualidade da mobilidade nacional.  Ele também destaca que “melhorar a mobilidade urbana nos municípios brasileiros significa melhorar o bem-estar da população em geral, bem como tornar a economia mais inclusiva e dinâmica, sendo um vetor de crescimento produtivo”.

“A CNT entende que os governos precisam aprimorar a política pública de infraestrutura de transporte público brasileira, além de assegurar o fortalecimento das condições necessárias para atrair investimentos”, Valter Souza, Diretor de Relações Institucionais da Confederação Nacional do Transporte (CNT).

Conheça a seguir a visão do executivo sobre as ações necessárias para o desenvolvimento do transporte público estruturante no País:

A rede de transporte metroferroviário brasileira vem crescendo discretamente ao longo dos anos. Quais ações avalia como necessárias para o avanço da mobilidade urbana sobre trilhos no Brasil?

Valter Souza – A CNT entende que os governos precisam aprimorar a política pública de infraestrutura de transporte público brasileira, além de assegurar o fortalecimento das condições necessárias para atrair investimentos e interesse de operadores do transporte sobre trilhos, brasileiros e estrangeiros. Entre as ações prioritárias, os novos governos devem encarar a expansão da rede metroferroviária (metrôs, trens urbanos, VLTs, aeromóveis e monotrilhos) como solução eficiente e custo-efetivo de deslocamento nos municípios/regiões em que exista uma demanda suficiente para tanto, especialmente aquelas com mais de um milhão de habitantes. Deve-se investir na construção de novas estações que permitam o aumento da integração modal dentro do perímetro urbano, além melhorar estações e pontos de embarque existentes. Outra importante estratégia é a redução no uso de benefícios para incentivar o mercado de veículos privados, como reduções de tributos para automóveis, por exemplo. Por fim, o aumento do uso de tecnologias amigáveis que facilitem a decisão do passageiro.

O governo tem apostado nas parcerias públicos-privadas (PPP) para o setor e hoje elas respondem por 56% das operações no Brasil. Qual a sua visão em relação às PPPs no setor metroferroviário?

Valter Souza – A solução para o problema da mobilidade é conhecida e o Brasil detém tecnologia, capacidade industrial instalada e know-how de projetos bem-sucedidos em Parcerias Público-Privadas (PPP) e de concessões públicas para sistemas de transporte de passageiros sobre trilhos, que podem contribuir de forma rápida para mudar a qualidade da mobilidade nacional. Embora ainda sejam passíveis de melhorias, os modelos de PPPs utilizados em São Paulo e Salvador, por exemplo, podem ser considerados casos de sucesso. É fato que o setor de transporte público vive a sua mais aguda crise há pelo menos dois anos, em função da pandemia da covid-19. Mesmo assim os investimentos privados vêm avançando na expansão da rede de transporte sobre trilhos, o que demostra que esse é o caminho mais viável para o aprimoramento da mobilidade urbana brasileira. Ao longo de uma década, a participação privada no setor aumentou mais de 300%. Atualmente, ela responde por 56% das operações no Brasil e esse número poderá ser ainda maior.

2022 é ano de eleições presidenciais e estaduais. Qual a importância de debater a mobilidade urbana no cenário das eleições?

Valter Souza – Melhorar a mobilidade urbana nos municípios brasileiros significa melhorar o bem-estar da população em geral, bem como tornar a economia mais inclusiva e dinâmica, sendo um vetor de crescimento produtivo. Por essa importância, os governos federal, estaduais e municipais devem orientar ações prioritárias para soluções da mobilidade urbana nacional. Para se ter uma ideia, o Brasil precisa ampliar em pelo menos 850 km a malha de metrôs e trens de passageiros para modernizar o transporte urbano nas grandes cidades. Isso significa um crescimento de cerca de 80% da infraestrutura atualmente disponível, que é de 1.062 km de extensão. Segundo estudos da CNT, seriam necessários cerca de R$ 167,13 bilhões para a construção e ampliação de sistemas e ainda para a aquisição de material rodante e recuperação de infraestrutura. A CNT acredita na importância da construção de uma política nacional de transporte de passageiros e em formas de financiamento sustentáveis do transporte público de passageiros.

Como avalia a importância de um evento como o Fórum de Mobilidade ANPTrilhos no desenvolvimento do setor metroferroviário?

Valter Souza – Eventos como o Fórum de Mobilidade lançam luz sobre a necessidade premente de ampliação da infraestrutura e o planejamento adequado do transporte sobre trilhos nas grandes cidades, sempre integrado ao sistema de ônibus. Esse é o caminho para atender à expansão da demanda pelo transporte de massa e para a melhoria da mobilidade urbana. Afinal, um transporte público eficiente beneficia toda a sociedade, uma vez que investir nesse segmento garante mais sustentabilidade para as nossas cidades e mais qualidade de vida para os brasileiros.